Câmara de Sapé instaura CPI para apurar a possível existência de organizações criminosas na gestão de Sidnei Paiva

Câmara de Sapé instaura CPI para apurar a possível existência de organizações criminosas na gestão de Sidnei Paiva

Vereador Alexandre Kennedy passa mal e recebe atendimento médico. Processo de instauração de CPI é publicado no Diário Oficial da Câmara Municipal . Presidente abre prazo de cinco dias para recursos

A 16ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Sapé, realizada na manhã de hoje (11), foi bastante tumultuada e o vereador Alexandre Kennedy passou mal em plenário no momento exato em que o requerimento de instauração da CPI foi apresentado. A sessão foi interrompida por aproximadamente 20 minutos para que o parlamentar recebesse atendimento médico. Retornando os trabalhos, foi apresentado o requerimento de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e a Câmara divulgou, agora à tarde, no Diário Oficial, a documentação que dá início ao processo. O presidente abriu prazo de cindo dias para recursos à mesa.

Veja o momento em que o vereador passa mal

O requerimento para a instalação da CPI foi assinado pelos vereadores Rubens Luís Lucena da Silva (Rubinho), José Roberto dos Santos Silva (Nego Simplício), Teresinha Danielle Virginio dos AnjosMaíra Massa da Cunha e Francisco Macena da Paixão (Bainha). A CPI tem por objetivo apurar possíveis irregularidades administrativa da gestão do prefeito Sidnei Paiva de Freitas (Podemos) referentes à prática de “rachadinha” e existência de funcionários fantasmas na folha de pagamento da Prefeitura de Sapé.  

Prefeito de Sapé, Sidnei Paiva

Na justificativa do requerimento, os vereadores solicitam a criação da CPI e que “os responsáveis e as causas desses crimes devem ser investigados bem como a possível existência de organizações criminosas que atuam nesse sentido, não podendo o Poder Legislativo ficar omisso em investigar esses gravíssimos fatos”.  

A CPI deverá ser composta por seis vereadores que deverão ocupar os cargos de presidente, relator e membros e procederão a investigação dos fatos denunciados por um período de noventa dias, podendo o prazo ser prorrogado por igual período. Os vereadores Alexandre Kennedy, Dudu do Trigo e o vereador licenciado Marcone Mãozinha não poderão integrar a CPI, pois serão ouvidos na condição de testemunhas. 

O vídeo da sessão poderá se acessado através do link da Câmara TV: https://www.facebook.com/camarasapeoficial/videos/1862724927230643

O Portal GPS teve acesso à publicação on-line do Diário Oficial da Câmara, onde foram publicados o requerimento e a certidão de recebimento do requerimento.  

Da Redação do Portal GPS. 

Redação GPS

Seu comentário é muito importante para nós.

Protegido por Direitos Autorais. Compartilhe o conteúdo usando os botões das redes sociais no final da matéria.