Câmara de Sapé se divide em três blocos e uma bancada e indica membros da CPI para investigar gestão de Sidnei Paiva

Câmara de Sapé se divide em três blocos e uma bancada e indica membros da CPI para investigar gestão de Sidnei Paiva

Presidente diz que vereadores estão sofrendo assédio e a gestão municipal vem realizando manobras midiáticas para tentar barrar a CPI. Batalha de narrativas resulta em Boletim de Ocorrência 

Por Jorge Galdino – Jornalista 

Mais uma sessão tensa na Câmara Municipal de Sapé na manhã desta quinta (18), momento em que vereadores da base de sustentação do governo tentaram impedir o processo de indicação dos membros para compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), alegando ‘atropelo’ do regimento interno na instauração da CPI na sessão da semana passada, inclusive atribuindo ao presidente Abraão Júnior (Podemos) uma suposta farsa e fraude nas denúncias objetos da CPI. Na condução da mesa diretora, Abraão Júnior não se intimidou com os gritos de protesto dos vereadores da situação e deu continuidade à composição da CPI. 

A bancada de situação se dividiu em dois blocos: Bloco do Povo, composto pelos vereadores Alexandre Kennedy (sem partido), Ricardo Miguel de Lima (PP), Antônio João Adolfo Leôncio (Dem) e Maria das Graças da Silva Lopes (PP); e o Bloco da População, composto pelos vereadores Davyd Matias de Souza (Podemos), José Eduardo Barbosa Santos (PL) e Pedro Ramos Cabral (Cidadania).  


Assista à sessão da Câmara no link abaixo:

https://www.facebook.com/camarasapeoficial/videos/630619165051144/


Com a nova divisão, a Câmara Municipal de Sapé agora está composta pelos dois blocos da situação e ainda um Bloco Independente, composto pelos vereadores Rubens Luís Lucena da Silva (PSDB), Adriano José dos Santos Silva (PSDB), Jose Roberto dos Santos Silva (PP), Arquimedes Natércio Santos de Freitas (PP), Abraão Júnior Sales da Silva (PODE) e Francisco Macêna da Paixão (PP); e a Bancada de Oposição, formada pelas vereadoras Teresinha Danielle Virginio dos Anjos (Cidadania) e Maira Massa da Cunha (PP). 

Mesmo diante do tumultuo, quatro vereadores foram indicados pelos Bloco Independente e Bancada de Oposição para compor a CPI: Rubens Luís Lucena da Silva, Arquimedes Natércio Santos de Freitas, Jose Roberto dos Santos Silva (Nego Simplício) e Teresinha Danielle Virginio dos Anjos. Os blocos da situação recusaram proceder com as indicações dos membros por contestarem o processo de instauração da CPI.  

O presidente concedeu prazo de 24 horas para os blocos situacionistas indicares seus representantes na Comissão, sob pena de terem os membros indicados pela mesa da Casa. A CPI será composta por seis membros, que elegerão entre si o presidente e relator da Comissão. 

Narrativas resultam em Boletim de Ocorrência 

O presidente da Câmara Municipal de Sapé, Abraão Júnior, postou vídeo nas redes sociais em que afirma ter formalizado um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia de Polícia Civil de Sapé. Segundo Abraão, o documento visa investigar a conduta do funcionário contratado da Prefeitura de Sapé, Rodrigo José da Silva, um dos pivôs das denúncias que embasaram a criação da CPI. 

Rodrigo José disse que foi chamado até a casa de Teresa Carneiro e lá estava o presidente da Câmara, Abraão Júnior, quando eles (Abraão e Teresa) teriam pedido para que ele declarasse que fez um acordo com o prefeito para receber sem trabalhar, tendo a missão de vigiar Teresa. “Ela fez essa declaração e mesmo não sendo verdade, eu assinei”, disse Rodrigo, lembrando que o documento foi usado nas denúncias encaminhadas à Câmara para embasar a criação da CPI. 

Contudo, Rodrigo se contradiz nas atuais declarações, já que vídeos circulam nas redes sociais em que ele relata todas as acusações proferidas contra a gestão do prefeito de Sapé, Sidnei Paiva (Podemos). 

Sentindo-se ofendido pela acusação de ter fraudado as denúncias e induzido o funcionário a mentir, Abraão Júnior formalizou um Boletim de Ocorrência para que a Polícia Civil investigue a contradição dos depoimentos de Rodrigo José. “Estão tentando desacreditar a CPI para encobrir a graves denúncias atribuídas à gestão municipal, mas não vão conseguir pois o processo de instauração tramita dentro da legalidade e a verdade aparecerá ao final dos trabalhos da Comissão”, disse Abraão ao Portal GPS. 

Abraão Júnior também divulgou nota a respeito das declarações de Rodrigo José. 

Assédio a vereadores 

O presidente da Câmara também vem postando nas redes sociais insinuações de que estaria sendo assediado pela gestão municipal para desistir da CPI. Abrão também relata que os demais vereadores do bloco independente também vêm sofrendo o mesmo assédio, mas acredita que os posicionamentos serão mantidos, pois os vereadores estão convencidos de que as denúncias devem ser apuradas para que a verdade prevaleça e que os eventuais culpados sejam punidos. “Os vereadores estão sofrendo assédio e a gestão municipal vem realizando manobras midiáticas para tentar barrar a CPI. Não vão conseguir!”, enfatizou Abraão. 

Da Redação do Portal GPS.

Redação GPS

Seu comentário é muito importante para nós.

Protegido por Direitos Autorais. Compartilhe o conteúdo usando os botões das redes sociais no final da matéria.