Coletivo Sapé de Luta promove ato contra Bolsonaro neste sábado, na Praça de Eventos em Sapé

Coletivo Sapé de Luta promove ato contra Bolsonaro neste sábado, na Praça de Eventos em Sapé

Campanha nacional de protestos contra a fome, o desemprego e a favor de mais vacinas acontecerá em todas as regiões do país e no exterior

O Coletivo Sapé de Luta (CST) promove, neste sábado (2), uma mobilização pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A campanha #ForaBolsonaro já registrou atos em mais de 160 cidades brasileiras. Sapé, berço das Ligas Camponesas e de lutas sindicais, não poderia ficar de fora dessa mobilização, que acontecerá às 15h, na praça de eventos do município. 

O evento contará com a participação de partidos políticos, movimentos sociais, sindicatos, lideranças políticas de Sapé, Sobrado, Mari, Riachão do Poço, Guarabira, João Pessoa e Cruz do Espírito Santo, estudantes e trabalhadores dos mais diversos setores.

A mobilização tem o intuito de unir forças e pressionar o Congresso Nacional pelo impeachment de Bolsonaro. “É preciso dar um basta a um presidente desumano e incapaz de gerir o país que trouxe desemprego, fome e morte. A gestão de Bolsonaro na pandemia do Covid-19 é criminosa e resultou em 600 mil brasileiros mortos. Por isso Bolsonaro responde por crime contra humanidade no Tribunal Penal Internacional. O povo brasileiro, sobretudo os mais pobres, não aguenta mais e Sapé não poderia ficar de fora dessa luta. É preciso dar um basta”, disse o sindicalista, professor Miguel Alves.

A campanha nacional de protestos contra a fome, o desemprego e a favor de mais vacinas acontecerá em todas as regiões do país e no exterior. O Brasil enfrenta crises econômica, sanitária e social e a população, em especial a mais pobre, é a que mais sente os efeitos da incompetência, do descaso com a pandemia do novo coronavírus, e do autoritarismo de Bolsonaro.

Os aumentos indiscriminados dos preços dos alimentos, dos combustíveis e das contas de luz penalizam ainda mais os brasileiros, que sem dinheiro ou com baixa renda viram sua dignidade escoar nos últimos tempos.

Soma-se a isso o criminoso enfrentamento à pandemia por parte do governo que negligenciou a compra de vacinas, fez propaganda de medicamentos ineficazes e desdenhou da crise sanitária desde o início – fatores que, juntos, levaram à morte quase 600 mil pessoas no Brasil.

Da Redação do Portal GPS.

Redação GPS

Seu comentário é muito importante para nós.

Protegido por Direitos Autorais. Compartilhe o conteúdo usando os botões das redes sociais no final da matéria.