Ex-prefeito de Sapé recebeu auxílio emergencial indevidamente, segundo o TCU

Ex-prefeito de Sapé recebeu auxílio emergencial indevidamente, segundo o TCU

Lista de candidatos que receberam auxílio emergencial indevidamente tem três candidatos a vereador em Sapé

O ex-prefeito de Sapé, Antônio João Adolfo Leôncio (Tota) e mais dois candidatos a vereador aparecem na lista divulgada nesta sexta (06) pelo Tribunal de Contas da União (TCU), como beneficiários do auxílio emergencial do governo federal.

Tota Leôncio, ex-prefeito, ex-presidente da Câmara municipal de Sapé e atualmente candidato a vereador pelo Dem, declarou bens no valor de R$ 635.000,00 e, segundo o TCU, recebeu o auxílio emergencial de R$ 600,00. Também aparecem na lista os candidatos a vereador Carlos Ricelley Nascimento Meireles (Podemos), com bens declarados no valor de R$ 613.000,00, e Maria da Vitória Silva Bernardo (Podemos), que declarou bens no valor de R$ 525.000,00. Segundo o TCU, eles teriam recebido o auxílio emergencial no valor de R$ 1200,00 cada um.

Dos três candidatos a vereador em Sapé, apenas Carlos Ricelley teve o benefício bloqueado antes da decisão do TCU e todos solicitaram o auxílio através do aplicativo da Caixa Econômica Federal.

Divulgação da Lista

Por meio de despacho assinado nesta sexta-feira, 6/11, o ministro Bruno Dantas tornou pública lista produzida pelo TCU que contém os candidatos que declararam patrimônio igual ou superior a R$ 300 mil e que receberam alguma parcela do auxílio emergencial até julho de 2020. É possível verificar também casos em que o patrimônio declarado do candidato supera 1 milhão de reais. Tais casos demonstram potenciais integrantes do rol de inclusões indevidas do benefício, uma vez que os indícios apontam renda incompatível com as regras do programa.

Importante destacar que o Ministério da Cidadania deliberou pelo cancelamento de todos os benefícios detectados pelo TCU, sem prejuízo da possibilidade dos beneficiários contestarem nos canais adequados. A única exceçãose refere a benefício concedido judicialmente.

Alertas importantes:

• Os resultados são apenas indícios de renda incompatível com o auxílio

• Há risco de erro de preenchimento pelo candidato

• Há risco de fraudes estruturadas com dados de terceiros

• Só o Ministério da Cidadania pode confirmar se o pagamento é indevido

• Só o TSE pode confirmar eventuais crimes eleitorais

• O papel do TCU é garantir o bom uso do dinheiro público

• Os dados dos candidatos são públicos e estão disponíveis no site do TSE

• Os dados dos beneficiários do auxílio são públicos e estão no Portal da Transparência

Milionários na lista do TCU

Um dos casos milionários das listas é Elias João Neto, candidato a vereador em Cândido Mota (SP). Elias declarou patrimônio de R$ 11 milhões. Destes, R$ 10 milhões equivalem a três fazendas e R$ 950 mil em “dinheiro em espécie”. O candidato figura a lista do auxílio emergencial e, segundo o TCU, já recebeu R$ 1.200,00.

Outro candidato que declarou patrimônio milionário foi Leandro Adilson Romero, candidato a vice-prefeito de Álvares Florence (SP) pelo DEM. Romero declarou patrimônio de R$ 10,2 milhões: 50% de cotas de uma empresa, terrenos e R$ 80 mil em “dinheiro em espécie”. De acordo com o TCU, ele recebeu R$ 600 de auxílio emergencial.

O candidato a vereador de Ipatinga, Elizeu Candido Garcia (PSL-MG), apresentado como Elizeu do Uber, declarou R$ 314.103.990,00 em bens, mas recebeu R$ 1.800 em auxílio emergencial.

Confira aqui a lista de candidatos às eleições que receberam auxílio emergencial indevidamente.

Da Redação do Portal GPS com informações do TCU.

Redação GPS

Seu comentário é muito importante para nós.

Protegido por Direitos Autorais. Compartilhe o conteúdo usando os botões das redes sociais no final da matéria.