Pároco de Sapé faz cobranças ao poder público em sermão da missa dominical

Pároco de Sapé faz cobranças ao poder público em sermão da missa dominical

Dorgival Vicente disse que o povo passa fome diariamente nas filas da Caixa Econômica e faz cobranças para que a prefeitura ofereça pelo menos lanche a essas pessoas

A missa dominical na Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Sapé teve um sermão diferente hoje(03). O pároco Côn. Dorgival Vicente Ferreira fez um desabafo sobre a situação das centenas de pessoas que se aglomeram diariamente em frente à agência da Caixa Econômica Federal em Sapé para receber o auxílio emergencial do governo federal.

Segundo o pároco, a fome leva àquelas pessoas a se ariscarem diariamente em intermináveis filas, colocando a vida em risco para tentar sacar o auxílio emergencial do Governo Federal. O pároco também disse que nunca viu tanta gente na porta da Casa Paroquial todos os dias pedindo ajuda e que o interfone não parava de tocar e ainda fez cobranças à prefeitura e à câmara de vereadores, pedindo que pelo menos um lanche fosse oferecido àquelas pessoas. “Se existe alguém que pode fazer alguma coisa é a pessoa jurídica… A prefeitura, que recebe dinheiro pra isso.” disse Dorgival Vicente.

As missas vêm sendo transmitidas pela rádio comunitária local e nas redes sociais da paróquia por conta da quarentena e do distanciamento social ocasionado pelo Coronavírus. O áudio da missa de hoje rapidamente viralizou nos grupos de WhatsApp e redes sociais.

No áudio, o pároco fez cobranças ao pode público para que, pelo menos, fossem distribuídos lanches para aquelas pessoas que chegavam antes da meia noite e ficam nas filas até serem atendidos no expediente bancário do dia seguinte. “As pessoas nunca me pediram tanto como estão me pedindo nos últimos dias. O interfone da minha casa eu acho que vai queimar de tanto tocar. Mas é porque as pessoas estão com fome… As pessoas estão com fome! E o que é que a prefeitura está fazendo? O que é que a câmara dos vereadores está fazendo? Hoje não se dá pra esconder nada, a gente só é puxar e sabe quanto entrou em cada cidade. Dia 10, dia 20, dia 30. Fora o dinheiro extra que tá vindo para o combate ao Coronavírus. E aqui vai receber uma bolada boa… já recebeu, vai receber mais. Por que o Governo Federal está mandando para as cidades de acordo com o número de infectados”. Desabafou o padre.

Escute o áudio no arquivo abaixo

Da Redação do Portal GPS

Redação GPS
Protegido por Direitos Autorais. Compartilhe o conteúdo usando os botões das redes sociais no final da matéria.